Rede de pesquisa internacional é lançada na UFMT

Pesquisadores do Brasil, Portugal, Moçambique, Barbados e Canadá estão juntos para pesquisar modos e saberes de comunicação e questionar como estão sendo construídos os mundos contemporâneos. Eles compõem o grupo de pesquisa “Multimundos - Conhecimento, Saberes e modos de comunicação: tensões e transformações na contemporaneidade”, que será lançado dia 23 de agosto, no Museu Rondon de Etnologia e Arqueologia (Musear) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em Cuiabá. 
 
O evento contará com a presença da professora Postdoc Vera França, do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Vera conduzirá a palestra “Celebridades como radiografia e farol de valores do mundo contemporâneo” – tema abordado pelo Grupo de Pesquisa em Imagem e Sociabilidade da UFMG, do qual faz parte. 
 
O Multimundos abrange diferentes áreas: comunicação, filosofia, educação, história, cultura, artes, audiovisual, design, tecnologias, ensino a distância, conflitos étnicos-raciais, imigração e outras. O objetivo é questionar como são construídos os novos modos de conhecimento e as formas contemporâneas de comunicação e cultura. Os estudos também buscam identificar o papel de novas linguagens - como o audiovisual e a transmídia - na constituição e na disseminação de conhecimento.
 
Na UFMT, o grupo está vinculado ao programa de pós-graduação em Estudos de Cultura Contemporânea (Ecco), da Faculdade de Comunicação de Artes (FAC). São quatro linhas de pesquisa: “Poéticas, estéticas e narrativas: a trama dos sentidos”, coordenada pelo professor doutor Aclyse de Mattos; “Comunicação, cidadania, migrações e ativismos sociais”, vinculado ao pós-doutor em comunicação Cristóvão Domingos de Almeida; “Tensões contemporâneas em espaços formais e não formais de comunicação e de educação”, conduzido pelo professor doutor Benedito Dielcio Moreira; e “Comunicação e ciência: novos modos de construir mundos”, coordenado pelo doutor em comunicação Pedro Pinto de Oliveira. 
 
O projeto surge em meio ao advento das mídias digitais, à ampliação de espaços não formais de educação e disseminação de informação, à presença constante de processos audiovisuais no dia a dia. Nesse contexto ainda se destacam os trabalhos colaborativos em rede, a circulação de notícias falsas e o autoaprendizado. 
 
Tudo isso exige pesquisas sobre a comunicação contemporânea, sobre os novos modos de aprender e compreender, os impactos na educação, no pensamento filosófico e nos saberes populares, afirmam os professores que compõem a rede no Brasil. O atual cenário também requer atenção para o desenvolvimento de uma cultura científica voltada à constituição de recursos audiovisuais para a comunicação e para a educação.
 
A rede é considerada inovadora pelos professores envolvidos, pois propõe o compartilhamento de experiências de pesquisadores que ainda estão em processo de construção de suas pesquisas. Ou seja, não se tratam de trabalhos já consolidados, e isso faz do Multimundos “um empreendimento desafiador, tanto para a formação do grupo, quanto para a implantação de modelos de trabalhos colaborativos”, diz trecho do documento de constituição do grupo.
 
 
Serviço
O que? Lançamento do grupo de pesquisa Multimundos - Conhecimento, Saberes e modos de comunicação: tensões e transformações na contemporaneidade
Quando? Dia 23 de agosto (quinta-feira), às 14h
Onde? Auditório do Museu Rondon – UFMT, em Cuiabá-MT